A Universidade de Coimbra (UC) instaurou um processo disciplinar a um trabalhador suspeito de ter furtado várias peças do Museu Académico, disse esta segunda-feira à agência Lusa a vice-reitora Helena Freitas.

Em comunicado, a PSP informou que, na sexta-feira, apreendeu «diversas peças de natureza museológica» que tinham sido furtadas daquele espaço da UC, recaindo as suspeitas sobre um funcionário.

Na sequência desta informação da PSP, Helena Freitas explicou que o desaparecimento das peças se verificou no verão passado e que o trabalhador em causa «foi imediatamente suspenso» do Museu Académico, passando a trabalhar noutro serviço, enquanto decorre o processo disciplinar.

«É uma situação desagradável», disse, indicando que «o valor das peças é relativo» e enfatizando «mais o valor afetivo e histórico».

Abordados com o objetivo de venderem os artigos, «alguns comerciantes da Baixa de Coimbra suspeitaram da sua origem» e fizeram a denúncia, segundo a vice-reitora, tendo a universidade avançado com um procedimento disciplinar, que ainda não está concluído.

A PSP, por sua vez, encetou as investigações que levaram à recuperação dos objetos, na sexta-feira.

Fundado em 1990, o Museu Académico funciona sob o patrocínio da UC, no Colégio de São Jerónimo, na Alta da cidade, e tem como missão «reunir, preservar e difundir os valores sociais, artísticos e culturais da comunidade académica».

O acervo reporta-se à época contemporânea, desde finais do século XIX até à atualidade, e inclui peças de cerâmica, medalhística, torêutica, ourivesaria, têxteis, pintura, escultura, gravação, instrumentos musicais, arquivo discográfico, arquivo fotográfico, arquivo documental, biblioteca e arquivo de cartazes, acrescenta a Lusa.