De acordo com a Lusa, o secretário-geral da Intersindical, Arménio Carlos, espera ter «muitos milhares de trabalhadores» nas ruas de todo o país para participar no «Dia Nacional de Luta Contra a Exploração e o Empobrecimento».

A iniciativa tem ainda como objetivo a defesa do emprego, do aumento dos salários, dos direitos sociais e da contratação coletiva, da melhoria das condições de trabalho, das Funções Sociais do Estado e dos serviços públicos.

A demissão do Governo, a convocação de eleições antecipadas, o cumprimento da Constituição da República e a Defesa do Regime Democrático são outras das reivindicações na base do protesto.

A manifestação marcada para a capital vai juntar trabalhadores dos distritos de Lisboa e Setúbal, que vão desfilar, ao início da tarde, entre o Cais do Sodré e os Restauradores.

A intervenção de encerramento será proferida pelo secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, que abordará os principais temas da atualidade socioeconómica e anunciará novas formas de luta.