Os centros educativos não têm mais vagas disponíveis para acolher jovens condenados.

De acordo com o jornal «Público», o aviso começou a ser feito aos tribunais na semana passada, pela Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais.

«Não é possível, neste momento, disponibilizar vaga para o jovem em centro educativo devido à situação atual de sobrelotação da rede de centros educativos. Esta direção-geral confronta-se na atualidade com problemas de sobrelotação», dizem os fazes enviados aos tribunais de família e menores do Porto, de Sintra e Lisboa.

A lotação máxima já foi ultrapassada. No total, o sistema tem 200 lugares e há, neste momento, 230 jovens internados.

Ainda segundo o mesmo jornal, pelo menos dois menores aguardam em casa por uma vaga num dos estabelecimentos, para depois poderem cumprir a medida decidida em julgamento.

A este cenário junta-se também o encerramento de um centro educativo em Vila do Conde no mês passado, que acolhia 50 jovens.



Entretanto, a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais emitiu um comunicado a negar a falta de vagas.