As autoridades registaram 165 queixas de irritação cutânea em pessoas que tomaram banho em praias da Costa de Caparica e da linha de Cascais, desde o dia 10 de julho, segundo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

Desde essa altura, têm sido realizadas análises à água das praias onde têm sido reportados mais casos, mas os resultados continuam a ser inconclusivos.

«Confirma-se que não há um nexo causal entre as microalgas e a sintomatologia detetada», disse à agência Lusa o porta-voz da APA, Filipe Távora, acrescentando que as microalgas estão «dentro dos padrões normais».

Na segunda-feira, a APA tinha levantado a interdição de banhos nas praias de Santo Amaro de Oeiras, Carcavelos, Torre e São João de Caparica, por não ter detetado uma relação causa-efeito entre as queixas dos banhistas e a presença de microalgas, mas na quarta-feira a prática de banhos voltou a ser desaconselhada, após surgirem novos casos de irritação cutânea, em todas as praias da margem Sul, da Costa de Caparica até ao Cabo Espichel, e na margem Norte em São Pedro do Estoril.

As autoridades continuam a desaconselhar a prática de banhos nas praias da margem Sul (São João da Caparica, Costa de Caparica, Fonte da Telha, Lagoa de Albufeira e Meco) e Norte (S. Pedro do Estoril), embora não tenham sido reportados novos casos até à tarde de hoje.

Na quarta-feira, registaram-se mais de 70 casos de irritação cutânea, com sintomas de comichão e vermelhidão da pele, nas praias da Costa de Caparica e 12 em São Pedro do Estoril.

Os banhos são desaconselhados, sobretudo a crianças e pessoas com maior fundo alérgico, recomendando-se a passagem do corpo por água doce caso tomem banho.

A população é também aconselhada a consultar os nadadores-salvadores e a reportar qualquer caso aos mesmos.