A falta de igualdade e equidade no tratamento dos doentes com Hepatite C, que em alguns hospitais têm acesso a medicamentos inovadores e noutros não, é o principal tema de um congresso nacional que decorre neste sábado em Lisboa.

Segundo a SOS Hepatites, que organiza o 1º Congresso Nacional «Tratar a Hepatite C: Uma obrigação!», em toda a Europa, apenas três países, entre os quais Portugal, ainda não têm disponíveis estes medicamentos, que podem tratar e até curar 80% dos doentes com Hepatite C.

«A nossa maior preocupação é a falta de medicação e de equidade e igualdade para o tratamento», afirmou a presidente da SOS Hepatites, Emília Rodrigues, para quem é inadmissível que no Hospital de São João não disponibilizem medicação inovadora aos doentes e que no Hospital de Santo António disponibilizem.