Nove funcionários da Direção-Geral de Energia e Geologia morreram de cancro que terá sido provocado por exposição prolongada a ambiente com amianto nas instalações deste organismo, que se situa na Av.5 de Outubro em Lisboa.

Há mais 10 colegas que também adoeceram com cancro. Os testes realizados nas instalações foram analisados por médicos alemães.

Os trabalhadores da Direcção-Geral de Energia e Geologia pedem a mudança urgente de instalações. De acordo com a rádio TSF, em causa está a existência de amianto no prédio situado na Avenida 5 de Outubro, em Lisboa.

Nestas circunstâncias, os 70 trabalhadores da Direção de Energia e Geologia pedem a mudança urgente, numa carta a que a rádio TSF teve acesso.

O governo já confirmou a existência de amianto e que o prédio não tem condições, faltando a autorização do ministério das Finanças para concretizar a mudança.

O caso foi denunciado por cerca 70 trabalhadores do organismo numa carta a que a TSF teve acesso.

O documento fala em 19 funcionários «que adoeceram com cancro», nove dos quais já morreram.

Um faleceu em 2012. Médicos alemães analisaram os exames e garantiram que a doença «terá sido provocada por exposição prolongada a ambiente com amianto».

O secretário de Estado da energia confirma que o processo está em curso, mas Artur Trindade diz também que é necessário encontrar um local com uma renda mais baixa do que a atual.