A dimensão do fenómeno fala por si: a cada 40 segundos, há uma pessoa que se suicida em todo mundo.

O suicídio é mesmo a segunda causa de morte mais comum entre os jovens dos 15 aos 29 anos, segundo um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado esta quinta-feira.

Embora o suicídio seja uma tragédia que pode ser prevenida e evitada, acaba por ser uma realidade negligenciada: «Este relatório é um apelo à ação para resolver um grande problema de saúde pública que é encarado como um tabu há muito tempo», adverte a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.

Há 20 vezes mais tentativas do que suicídios

O mesmo relatório revela que mais de 800 mil pessoas cometem suicídio anualmente. E, muitas vezes, não conseguem logo à primeira. As tentativas serão ainda 20 vezes superiores, pelas estatísticas recolhidas até 2012.

A taxa de suicídio no mundo, nesse ano, foi de 11,4 por 100 mil habitantes.

Outro dado ilustrativo é que 75% dos suicídios ocorrem em países com baixos e médios salários. E, em geral, são mais os homens do que as mulheres a cometê-los. Nos países mais ricos, então, são três vezes mais do que elas, sendo que os homens com 50 anos ou mais são particularmente vulneráveis.

O caso de Portugal

No que toca ao nosso país, a taxa de suicídio baixou 7% entre 2000 e 2012. Nesse ano, 8,2 por cada 100 mil habitantes em Portugal. Em 2000, situava-se nos 8,8, nota a Lusa.

As causas mais frequentes

Envenenamento, enforcamento e armas de fogo estão entre os métodos mais comuns para acabar com a própria vida. As estatísticas da Austrália, Canadá, Japão, Nova Zelândia, Estados Unidos e vários países europeus mostram que limitar o acesso a estes meios pode ajudar a evitar pessoas que morram por suicídio.

«Outra chave para a redução de mortes por suicídio é um compromisso dos governos nacionais para a criação e implementação de um plano de ação coordenado. Atualmente, apenas 28 países têm estratégias nacionais de prevenção do suicídio», lê-se no relatório.

No Plano de Ação de Saúde Mental da OMS 2013-2020, os Estados-membros comprometeram-se com o objetivo global de reduzir a taxa de suicídio dos países em 10% até 2020.

A Organização Mundial de Saúde apela a iniciativas locais, de pequena escala. É por aí que se conseguirá resolver o problema maior, no seu todo.