Os crimes de violência doméstica e de cibercriminalidade foram os fenómenos criminais mais investigados em 2015 pelo Ministério Público (MP) da comarca de Lisboa, segundo o relatório anual divulgado esta sexta-feira.

O relatório da comarca de Lisboa do ano 2015, publicado na página da internet do MP, adianta que foram registados 2.684 inquéritos de violência conjugal ou equiparada, sendo 2.298 inquéritos contra homens e 386 contra mulheres.

Dos 2.684 inquéritos instaurados, 1.708 foram arquivados e 249 resultaram em acusação.

O MP da comarca de Lisboa investigou também 2.528 inquéritos relacionados com a cibercriminalidade, dos quais 1.984 resultaram em arquivamento e 44 em acusação.

No contexto da criminalidade organizada e grupal iniciaram-se 1.851 inquéritos em 2015, seguindo-se os crimes fiscais, que totalizaram 1.247.

O documento, assinado pelo coordenador da comarca de Lisboa, José António Branco, indica também que foram investigados, no ano passado, 24 inquéritos de branqueamento de capitais, 288 crimes de corrupção e afins e 185 contra pessoas vulneráveis (com mais de 65 anos ou portadores de incapacidade física ou psíquica).

De acordo com o relatório, a violência relacionada com a comunidade escolar registou 106 inquéritos, sendo 35 relativos a violência contra professores e 71 contra alunos.

No ano passado, foram também investigados por esta comarca 419 inquéritos relacionados com crimes contra agentes da autoridade e 42 praticados por agentes de autoridade.

Os crimes sexuais contra menores (pedofilia) deram origem a 307 inquéritos, enquanto a violência contra menores registou 185 casos, tendo 125 relação com o meio familiar e 60 fora da família.

Outros fenómenos criminais investigados em 2015 pela comarca de Lisboa estiveram relacionados com negligência na prestação dos cuidados de saúde (65), redes de imigração ilegal (15), incêndios florestais (292), tráfico de seres humanos (8) e furto e roubo a caixa de multibanco (um).

Esta comarca registou ainda 379 inquéritos no contexto da criminalidade relativa ao furto e roubo em veículos de transporte de valores.

O Ministério Público da comarca de Lisboa iniciou 91.490 inquéritos criminais em 2015, menos 5,7 por cento do que em 2013.