O secretário regional da Saúde dos Açores confirmou esta terça-feira que a Inspeção Regional da Saúde está a investigar vários casos de irregularidades na prestação de cuidados médicos, acrescentando que um caso já chegou à justiça.

«Existem em algumas situações fortes indícios de irregularidades e uma delas, que já é do conhecimento público, tramitou para o Ministério Público por indício de burla agravada», disse, em declarações aos jornalistas, realçando que se tratam de «situações pontuais».

O secretário regional da Saúde, Luís Cabral, falava à margem de uma visita ao serviço de urologia do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira.

A Antena 1 divulgou que a Inspeção Regional do Trabalho está a investigar várias situações por suspeitas de registos de atos médicos, que depois não se realizam.

Segundo Luís Cabral chegam à secretaria regional, ao provedor do utente e à inspeção regional da saúde denúncias de utentes, de médicos e anónimas «com alguma periodicidade», garantindo, contudo, que todas serão «averiguadas até à exaustão».

«Iremos manter a atividade da Inspeção Regional de Saúde de forma clara, transparente, mas também incisiva para garantir que o sistema funciona, porque toda a despesa que tivermos no Serviço Regional de Saúde, que não seja canalizada para a prestação direta de cuidados de saúde, são menos cuidados de saúde que a população dos Açores tem», frisou.

O secretário regional não revelou o montante em que a região terá sido lesada com estes casos de alegada burla, mas admitiu que à medida regional são «valores significativos», ainda que não cheguem à dimensão financeira de alguns casos conhecidos no continente.

Luís Cabral salientou ainda que «havendo apuramento de responsabilidades por parte de órgãos de justiça se irá proceder também ao necessário pedido de reembolso», cita a Lusa.