O Conselho Superior de Magistratura instaurou um inquérito ao juiz desembargador Rui Rangel, no âmbito do processo “Rota do Atlântico” e depois de a Procuradoria ter também aberto uma investigação.

Na sequência de uma pergunta por escrito da Agência Lusa o Conselho Superior de Magistratura confirmou “que instaurou um inquérito, com conteúdo sobre o qual não se pronuncia e que seguirá a sua normal tramitação”.

Na segunda-feira a Procuradoria-Geral da República revelou que foi aberta uma investigação ao juiz desembargador Rui Rangel, com origem numa certidão do processo “Rota do Atlântico”, estando a decorrer pelo Ministério Público junto do Supremo Tribunal de Justiça.

O jornal Correio da Manhã noticiou que o juiz Rui Rangel era suspeito de receber fortuna do empresário futebolístico José Veiga, arguido naquele processo relacionado com crimes de corrupção no comércio internacional, fraude fiscal e branqueamento de capitais e tráfico de influência.

A PGR diz que o caso está "em investigação e está em segredo de justiça”.

De acordo com o jornal a investigação surge na sequência da prisão, em fevereiro, do empresário José Veiga, por corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais.

A Lusa tentou obter um comentário do juiz Rui Rangel mas tal não foi possível.