A invasão foi pacíficamomentos de tensão.











entraram nas instalações do banco no interior da dependência bancária.  

O Banco de Portugal reafirmou, depois de uma reunião com a associação de clientes detentores de papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES), que o Novo Banco não tem de compensar os clientes que compraram papel comercial nos balcões do BES, e que só pode avançar com uma solução se esta não afetar o seu equilíbrio financeiro.

Uma resposta que terá indignado os clientes lesados. 
«abrir um processo judicial contra o Banco de Portugal»