Mais de 30 estradas, na maioria rurais e municipais, estão submersas no distrito de Santarém devido à subida das águas nas bacias do Tejo e do Sorraia, segundo um comunicado da Proteção Civil.

A nota, divulgada ao fim da manhã pelo Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém, refere um «aumento significativo do nível das águas do rio Tejo» e a previsão de que a subida se irá manter nas próximas horas, provocando a submersão de mais algumas vias.

Às 11:00, os caudais em Almourol eram de aproximadamente 3.700 metros cúbicos por segundo, refere o comunicado.

Também na bacia hidrográfica do Sorraia se regista um aumento do nível das águas devido aos valores debitados durante a noite, permanecendo as barragens de Maranhão e Montargil a 100%, com um ligeiro decréscimo no valor descarregado desde as 06:00, acrescenta.

Entre as vias afetadas contam-se as estradas nacionais 365 - submersa em vários pontos na ligação entre Santarém e a Golegã (e que levou ao isolamento, desde a noite de segunda-feira, da povoação de Reguengo do Alviela) e na ligação Fontainhas/Almoster (ponte do Celeiro) ¿; 368, entre Tapada e Alpiarça; 368-1, entre Alpiarça e Vale de Cavalos; e 3-2, entre Ponte do Reguengo e Valada (Cartaxo).

No município de Almeirim, além da ligação Tapada/Alpiarça, estão submersas as estradas rurais que ligam Benfica do Ribatejo a Casal Branco, Porto da Courela/Alpiarça, e a que liga as nacionais 114 e 368.

Devido à subida das águas do rio Sorraia, em Coruche encontram-se submersos os caminhos municipais H e 1427, a Estrada de Meias e a Ponte da Escusa. No concelho vizinho de Benavente mantém-se encerrada a estrada de campo de ligação à Reta do Cabo

Na Golegã, além da EN365 (nas ligações Pombalinho/Vale de Figueira e Golegã/Azinhaga), estão cortadas ao trânsito as estradas Real, entre Pombalinho e Mato de Miranda, e dos Lázaros, na ponte da Broa, e o caminho municipal 30, na ponte do Cação, e 31. Também a rua Manuel Barbosa, no Pombalinho, está intransitável.

Santarém é o concelho com mais vias submersas, pois, além da EN365 entre Vale de Figueira e Pombalinho, na ponte do Alviela a jusante do Pombalinho, entre a Ribeira de Santarém e Alcanhões (esta parcialmente) e na ponte do Celeiro (entre Fontainhas e Almoster), encontram-se cortadas as ligações a Almajões na ponte dos Alcaides, a estrada de campo entre a Ribeira de Santarém e Vale de Figueira, a ligação Póvoa das Mós/Moita, o acesso ao Hotel Rural (Azoia de Baixo) e a ligação entre as Ómnias e a aldeia piscatória das Caneiras.

Na Ribeira de Santarém estão ainda inundados os largos de Palhais e António Faustino, bem como, parcialmente, a zona junto à estátua de Santa Iria.

No Cartaxo, estão submersas, além da EN3-2 entre Ponte do Reguengo e Valada, a ligação municipal entre Vale da Pedra e a ponte do Setil, enquanto em Constância permanece submerso o parque de estacionamento junto ao rio Zêzere e a estrada de campo da Pesqueira.

No concelho de Alpiarça há duas estradas rurais submersas ¿ Alpiarça/Porto da Courela, Alpiarça/Quinta do Mouchão - e a EN368-1 entre Alpiarça e Vale de Cavalos, permanecendo ainda encerrada a estrada de campo de acesso ao Paúl do Boquilobo no concelho de Torres Novas.

A Proteção Civil aconselha as populações que retirem animais, bens e equipamentos agrícolas das zonas inundáveis para locais seguros, que não atravessem, com viaturas ou a pé, estradas ou zonas alagadas e que se mantenham informadas através dos Órgãos de comunicação social ou dos agentes de Proteção Civil.