Atualizada às 20h15

Uma intoxicação alimentar atingiu esta sexta-feira cerca de 50 pessoas, a maioria crianças, que se encontravam na praia das Rocas, em Castanheira de Pera, distrito de Leiria, disse à agência Lusa o segundo comandante da corporação local, José Fernandes.

«É um grupo formado por crianças e alguns adultos, que apresentam sintomas de vómitos e mal-estar geral. Estão a ser transportados para o centro de saúde de Castanheira de Pera depois de observados pelo médico do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) que se encontra no local», explicou José Fernandes, referindo que as vítimas deverão depois ser transferidas para as unidades hospitalares de Coimbra.

José Fernandes declarou que «é um dado adquirido que as pessoas não se alimentaram na praia das Rocas».

Vítimas transferidas para os HUC

As vítimas da intoxicação alimentar estão a ser transferidas para os hospitais de Coimbra, disse à agência Lusa o porta-voz do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

«São 52 crianças, entre os oito e os 16 anos, que apresentam sintomas uma intoxicação alimentar, diarreias, vómitos, mal-estar, desidratação», explicou Pedro Coelho dos Santos, adiantando que «dessas 52 todas elas já foram observadas por uma equipa médica e apenas seis inspiram alguns cuidados».

Segundo o porta-voz do INEM, «todas elas vão ser transportadas para o hospital pediátrico de Coimbra», sendo que três adultos apresentam «situação estável» e, foram, igualmente, vistos pelos médicos.

«Os adultos vão para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e as crianças para o pediátrico. As duas unidades de saúde já foram informadas da situação», referiu Pedro Coelho dos Santos.

O administrador executivo da Prazilândia, empresa municipal que gere o complexo da praia das Rocas, esclareceu que as vítimas, do distrito de Viseu, se deslocaram ao concelho «numa visita escolar».

«Almoçaram comida própria e, a partir das 14:30, começou a haver crianças a vomitar», declarou José Pais, explicando que a assistência foi imediata, quer dos funcionários da praia, dos bombeiros, do centro de saúde e da GNR.

Segundo José Pais, «a praia continuou a funcionar sem alarmismos».

Fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Leiria informou que o alerta foi feito às 16:39, tendo acorrido ao local 30 ambulâncias com 60 operacionais.

Praia das Rocas sem responsabilidade

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) disse à agência Lusa que os alimentos que provocaram intoxicação alimentar a 52 crianças e três adultos não são provenientes da praia das Rocas, na Castanheira da Pera.

«Ainda não há conclusão da proveniência dos alimentos, mas sabe-se que não é do local [Praia das Rocas, local do incidente]. São crianças que se deslocaram àquela praia e levaram as refeições com eles», disse fonte oficial da ASAE à Lusa, explicando estar uma brigada daquela autoridade em Castanheira de Pera.

A Autoridade de Saúde também realizou colheita de alimentos e de água.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Penedono, no distrito de Viseu, Carlos Esteves, informou que se está a deslocar para Coimbra, para se inteirar da situação.