O Instituto da Segurança Social informou, esta terça-feira, que a inspeção realizada pelo Instituto Ricardo Jorge ao edifício de atendimento de Vila Franca de Xira não revelou a presença de materiais com amianto “ou outro material” que possa “despoletar quaisquer efeitos cancerígenos nos trabalhadores e utentes".

Num comunicado enviado às redações, o ISS informa, também, que já foi contratada uma empresa da especialidade para proceder à “reparação das unidades de tratamento de ar, visando a resolução dos problemas causados pelos aparelhos que se encontram inoperacionais”, durante o mês de março.

Os constrangimentos “gerados pelo excesso de papel acumulado e armazenado nas instalações” também está a ser resolvido, e, por último, foi já lançado “um procedimento para adjudicação de empreitada para a substituição de tetos falsos, pinturas de paredes” e reparação do chão. Estas obras também deverão começar este mês.

O ISS garante que as obras “vão decorrer em zona exterior do edifício, pelo que se prevê um impacto residual no trabalho do Serviço local”.

A inspeção e as obras que vão ser iniciadas foram motivadas por queixas dos trabalhadores daquela unidade, que apresentam problemas respiratórios, visuais e oncológicos, que atribuem à falta de condições do edifício. Em 41 funcionários, 18 sofrem de doenças respiratórias ou oncológicas.

No início do mês, os trabalhadores concentraram-se à porta do edifício onde funciona a unidade, em greve, e exigiram a reparação das instalações.