O Infarmed iniciou esta quinta-feira um conjunto de 31 inspeções a serviços farmacêuticos hospitalares públicos e privados que serão levadas as cabo ao longo deste ano, anunciou a autoridade nacional do medicamento.

Em comunicado, o Infarmed adianta ter dado início “ao mais vasto conjunto de sempre de inspeções no terreno a serviços farmacêuticos hospitalares”, estando planeadas ”inspeções a 31 serviços farmacêuticos, sejam públicos (24) ou privados (7), prevendo-se também ações a detentores de autorização de aquisição direta”.

Aquela entidade adiantou que já foram avaliadas dez unidades, tendo sido detetadas diversas irregularidades e as instituições notificadas para encetar a sua correção.

“Depois de, no ano passado, se terem realizado cinco inspeções a estes serviços, foi decidido avançar com um programa mais alargado, com o objetivo de “verificar o circuito do medicamento (e também dispositivos médicos), garantindo que estes são administrados aos doentes com toda a qualidade, eficácia e segurança”, justificou a autoridade nacional do medicamento.

O Infarmed salienta também que “o cumprimento do que está previsto nas normas legais e na regulamentação aplicável é também verificado”.

“Até ao momento, as irregularidades mais frequentemente detetadas são relacionadas com o sistema de gestão de qualidade - nomeadamente ao nível dos procedimentos e registos - o sistema de monitorização das condições ambientais dos medicamentos e dos produtos de saúde, a preparação de medicação ou os circuitos dos medicamentos nas próprias instituições, havendo ainda irregularidades na dispensa de medicamentos ao público”, adiantou aquela entidade em comunicado.

O conjunto de ações deverá decorrer durante os próximos meses, ficando a cargo de uma equipa multidisciplinar do Infarmed.