O Ministério Público anunciou, esta sexta-feira, a instauração de um inquérito no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, para apurar as circunstâncias da queda mortal de uma criança de um prédio no Parque das Nações.

"Foi instaurado inquérito no DIAP de Lisboa para apuramento das circunstâncias em que ocorreu o óbito de uma criança de 5 anos, do sexo feminino, na sequência de uma queda de um 21º andar de prédio no Parque das Nações, em Lisboa”, refere uma nota publicada na página da Internet da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa refere que o inquérito é dirigido pela procuradora coordenadora da 7ª secção do DIAP de Lisboa, acrescentando que, sempre que legalmente se justifique, serão prestados esclarecimentos adicionais.

Fonte policial disse anteriormente à agência Lusa que os pais da criança que morreu na sequência de uma queda do 21º andar da Torre de São Rafael, no Parque das Nações, em Lisboa, iam ser ouvidos pela Polícia Judiciária (PJ) e constituídos arguidos.

De acordo com a mesma fonte, só depois de ouvidos pela PJ é que a investigação decidiria se os pais, de nacionalidade chinesa - que não se encontravam detidos -, seriam ou não presentes a um juiz para primeiro interrogatório judicial.

Outra fonte policial contou à Lusa que a queda da criança ocorreu quando estava sozinha no apartamento, acrescentando que os pais, nesse momento, se encontravam no Casino de Lisboa.

De acordo com esta última fonte policial, foram os pais que deram o alerta assim que chegaram a casa, cerca das 03:10.

Para o local deslocaram-se elementos da Polícia de Segurança Pública e uma viatura do Instituto Nacional de Emergência Médica.