O Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SCIF-SEF) denunciou hoje as «sucessivas infiltrações de água» nas instalações da Delegação Regional da Guarda do SEF.

O presidente do sindicato, Acácio Pereira, disse à agência Lusa que as infiltrações são «recorrentes» e a última ocorreu na madrugada de hoje.

«Hoje de manhã, na abertura do serviço, verifiquei que um dos gabinetes estava inundado pela água da chuva que entrou nas instalações durante a noite. Estavam baldes no chão para apanhar a água e alguns processos encontravam-se danificados», relatou.

A situação está a preocupar a direção do SCIF-SEF, que promete levar o assunto ao diretor nacional do SEF.

Acácio Pereira indicou que cada vez que chove, os funcionários da Delegação da Guarda do SEF «já quase apostam em qual vai ser o gabinete que vai ficar inundado».

«É lamentável que o Estado pague uma renda pela utilização das instalações e o serviço não corresponda efetivamente aquilo que é pago», disse o dirigente sindical.

O responsável lamenta que «instalações recentemente adaptadas para o efeito» estejam nas condições descritas, temendo que as infiltrações de água possam danificar os equipamentos informáticos que se encontram no edifício.

«Não se compreende como uma cidade como a Guarda, onde, como é sabido, há vários edifícios do Estado, o SEF esteja num sítio destes e a pagar renda», denuncia o presidente do SCIF-SEF.

A agência Lusa contactou o responsável pela Delegação do SEF na Guarda, que adiantou que o problema denunciado pelo sindicato «foi comunicado ao senhorio» para o resolver e também «vai ser comunicado superiormente».

As instalações da Delegação Regional da Guarda do SEF, localizadas na rua Paiva Couceiro, no mesmo espaço onde outrora funcionou a Repartição de Finanças, foram inauguradas a 9 de julho de 2008, pelo então ministro da Administração Interna, Rui Pereira.