Os medicamentos Varfine e Artane, em falta nas farmácias há duas semanas, começam a chegar na quinta-feira, tendo as empresas distribuidoras dos fármacos assumido a responsabilidade de regularizarem a situação até ao final da semana.

A informação consta de um comunicado da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos da Saúde (Infarmed), emitido depois de este organismo ter chamado as empresas responsáveis pela distribuição dos medicamentos em falta nas farmácias há duas semanas.

Numa reunião de urgência realizada esta quarta-feira com uma empresa distribuidora, esta informou o Infarmed de que as embalagens dos medicamentos encontradas num armazém já se encontravam em processamento para distribuição a nível nacional.

A mesma empresa informou o Infarmed de que a presença dos medicamentos em armazém resultou de «um constrangimento de ordem técnica, com a operação de processamento que estava em curso», situação entretanto resolvida.

No comunicado, o Infarmed informa ainda que, para garantir a manutenção regular do abastecimento daqueles dois fármacos, vai, com a empresa distribuidora, proceder a uma «monitorização atenta» do circuitos dos dois medicamentos a nível nacional.

O Varfine é um medicamento com propriedades anticoagulantes, utilizado, sobretudo, na prevenção do tromboembolismo e tromboses, e o Artane é um adjuvante no tratamento de todas as formas de parkinsonismo.

No documento, o Infarmed informa também que se vai reunir com a empresa titular da autorização de introdução no mercado português dos dois fármacos, que tem sede em Itália, para que esta lhe preste esclarecimentos adicionais.

Na terça-feira, o Infarmed inspecionou um armazém de uma empresa responsável pelos dois medicamentos em falta nas farmácias há duas semanas e verificou que existiam embalagens para suprir as necessidades dos utentes, tendo instaurado um processo de contraordenação.

Já esta quarta-feira, aquele organismo referiu ter chamado as empresas responsáveis pela distribuição de dois medicamentos em falta nas farmácias, para explicarem por que motivo os remédios em causa estavam no armazém e não estavam a ser distribuídos.