As parafarmácias venderam um quinto dos Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica (MNSRM) comprados em 2014, segundo dados do Infarmed divulgados esta quinta-feira.

De acordo com o relatório referente à venda destes fármacos, no ano passado foram vendidas 7.699.484 embalagens, no valor de 41.406.325 euros.

Estes dados apontam para um aumento de 4,2 por cento de embalagens vendidas e de 12,4 por cento em termos de valor.

O grupo farmacoterapêutico com maior nível de vendas foi, em termos de volume, o dos analgésicos e antipiréticos (1.905.237 embalagens, 24,7 por cento do total) e, em valor, o dos modificadores da motilidade intestinal (4.978.249 euros, 12,0 por cento do total).

A substância ativa com maior nível de vendas foi, em volume, o paracetamol (1.140.411 embalagens) e, em valor, o diclofenac (anti-inflamatório) (3.198.536 euros).

O documento indica ainda que, em 2014, foram vendidas 37.133.831 embalagens de MNSRM: 29.434.347 em farmácias e 7.699.484 fora destes estabelecimentos.

Os MNSRM vendidos fora das farmácias representam, assim, 21 por cento dos medicamentos não sujeitos a receita médica vendidos no ano passado.