Mais de 8.000 doentes com hepatite C já foram salvos desde 17 de fevereiro de 2015, data em que foi assinado o acordo para tratamento com dois medicamentos antivíricos de ação direta.

O número é avançado pelo Infarmed, nesta quinta-feira, que indica ainda que, desde então, mais de 15.000 doentes iniciaram o tratamento e que até 14 de fevereiro foram "autorizados 18.929 tratamentos em todo o país", a maior parte dos quais referentes a doentes do sexo masculino (73%), que têm, em média, entre 50 (homens) e 55 anos (mulheres).

 

Em relação aos resultados dos tratamentos, a taxa de cura mantém-se nos 97%, com 8.870 doentes curados e apenas 305 não curados", indica a autoridade do medicamento em Portugal, em comunicado.

 

O Infarmed sublinha, ainda, "a redução do número de tratamentos numa fase mais avançada da doença, nomeadamente de cirrose, nos doentes abrangidos".

Atualmente, estão disponíveis, segundo o regulador, sete medicamentos de última geração no mercado, "incluindo pangenotípicos – indicados para todos os tipos de vírus da hepatite C""Está ainda aprovado um oitavo medicamento nesta área (também pangenotípico), que aguarda o início de comercialização."

O Infarmed faz notar, também, que "a decisão de tratar todas as pessoas infetadas pelo vírus da Hepatite C faz com que Portugal seja um dos primeiros países europeus, e mesmo a nível mundial, a implementar uma medida estruturante para a eliminação deste grave problema de saúde pública".