O Infarmed inspecionou esta terça-feira o armazém de uma empresa responsável por dois medicamentos em falta nas farmácias há duas semanas e verificou que existiam embalagens para suprir as necessidades dos utentes, tendo instaurado um processo de contraordenação.

Em comunicado enviado às redações, o Infarmed disse que, nas últimas duas semanas, recebeu várias reclamações de utentes e farmacêuticos queixando-se da indisponibilidade de dois medicamentos: o Varfine (com propriedades anticoagulantes e essencialmente utilizado na prevenção do tromboembolismo e tromboses) e o Artane (um adjuvante no tratamento de todas as formas de parkinsonismo).

O Infarmed contactou a empresa responsável pela distribuição daqueles medicamentos no mercado nacional, tendo sido informado que a situação estaria resolvida na passada segunda-feira.

No entanto, os problemas no abastecimento mantiveram-se e o Infarmed decidiu realizar uma ação de inspeção junto do armazém da empresa, onde encontrou «embalagens suficientes para suprir as atuais necessidades dos utentes», lê-se no comunicado.

O instituto que regula o mercado dos medicamentos acabou por notificar a empresa «a iniciar de imediato» o fornecimento daqueles produtos, sendo por isso expectável que «comecem gradualmente a chegar às farmácias embalagens destes produtos e que se retorne à situação de regular abastecimento no mercado nos próximos dias».

O Infarmed decidiu ainda instaurar um processo de contraordenação social por violação da obrigação de notificação da rutura de stock e convocar com caráter de urgência a empresa para prestar esclarecimentos sobre o sucedido.

O instituto convocou também com caráter de urgência a empresa que é titular de autorização de introdução no mercado destes dois medicamentos para prestar esclarecimentos sobre o sucedido.