Uma auxiliar de ação educativa do infantário do bairro da Esperança, em Beja, é suspeita de ter agredido um bebé de nove meses. A queixa foi feita na PSP pela mãe da criança e a funcionária acabou suspensa de funções pela direção da creche.
 
O caso terá ocorrido na sexta-feira. Nesse dia, a creche justificou que Martim teria tido um ataque de tosse e de vómitos. Mas, no entender da família, o que se passou à hora de almoço foi mais grave. Martim tinha o olho, a bochecha, a orelha e o pescoço vermelhos e a família teve a certeza de que lhe tinham batido.

De acordo com a direção da creche, tudo terá acontecido à hora do almoço, numa altura em que só a auxiliar, agora suspensa, estava com as crianças.

Fonte próxima do comando da PSP de Beja garantiu à TVI que a mãe do bebé apresentou queixa contra a auxiliar educativa. A polícia remeteu de imediato o processo para o Ministério Público, que vai agora ouvir os intervenientes. A decorrer já está um inquérito para apurar responsabilidades.

José Baguinho, diretor do centro comunitário responsável pelo infantário, revelou à TVI que sobre a auxiliar da creche já tinham recaído outras acusações, mas sem a mesma gravidade.