A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) considerou esta sexta-feira que os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre o atendimento no serviço de urgência refletem «a confiança crescente dos portugueses» nos hospitais privados.

Segundo dados divulgados pelo INE, o atendimento em serviço de urgência quase duplicou numa década nos hospitais privados, que registaram também um reforço do número de camas de internamento, ao contrário dos hospitais públicos.

Em comunicado, a APHP entende que tais dados são «sinónimo da confiança crescente dos portugueses no setor da hospitalização privada».

O presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada, Artur Osório Araújo, citado na nota, relaciona os resultados com a abertura de 30 novos hospitais e com as «boas práticas» e os «preços justos» praticados pelas unidades.

A APHP foi fundada em 1974 e reúne cem unidades de saúde privada.

Em 2002, de acordo com o INE, os hospitais privados efetuaram cerca de 460 mil atendimentos nos serviços de urgência e em 2012 esse número ultrapassou os 800 mil, correspondendo a 11,6% do total de atendimentos nos hospitais portugueses.

Em dez anos, o número de camas de internamento nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde baixou em três mil, enquanto os privados passaram a ter mais 1.400 camas.