A taxa de abandono precoce de educação e formação diminuiu, em Portugal, 5,6 pontos percentuais entre 2011 e 2014, mas mantém-se acima da média da União Europeia (UE), divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com dados da 4.ª edição do Retrato Territorial de Portugal, a taxa situava-se, em 2014, em 17,4% (contra 23% em 2011), acima da média dos 28 países da UE (11,1%) e ainda longe da média definida pela estratégia Europa 2020, que coloca a redução do abandono precoce de educação e formação em valores inferiores a 10%.

Essa meta, assinala o INE, "constitui também objetivo estratégico do domínio temático associado ao capital humano no âmbito do Portugal 2020". O Instituto Nacional de Estatística refere ainda que, do conjunto dos 28 países da UE, "19 já alcançaram uma taxa de abandono precoce de educação e formação inferior a 10%".

Em termos regionais, a taxa diminui em todas as sete regiões NUTS II do país mas, em 2014, nenhuma delas havia atingido o valor médio da União Europeia.

As que mais se aproximam são a região Centro (14%) e a Área Metropolitana de Lisboa (14,4%). Já nos Açores, a taxa de abandono escolar situava-se acima dos 30% e nos 20% na Madeira e Algarve.