O vento forte tem sido o principal obstáculo ao combate às chamas em Oliveira de Frades.

De acordo com a informação disponibilizada na página da Autoridade Nacional de Proteção Civil, este incêndio, que começou no domingo, tinha quatro frentes ativas às 11:42.

Trezentos e oitenta e um bombeiros e 107 viaturas estavam nessa altura a colaborar no combate ao incêndio, assim como dois aviões bombardeiros operacionais franceses e um helicóptero bombardeiro pesado.

«O terreno é de muito difícil acesso e o vento forte dificulta muito as operações de combate. Algumas explorações agrícolas estão em risco e estamos a evitar que o incêndio se aproxime das populações», disse o omandante operacional distrital de Viseu, Lúcio Campos à Lusa.

Este incêndio passou já do distrito de Viseu para o distrito de Aveiro e o vice-presidente da Câmara de Sever de Vouga disse também à Lusa que, durante a noite, «houve situações de maior risco» para as populações.

«Mas agora parece estar tudo a acalmar», acrescentou.

Às 11h42 estavam ativos 17 incêndios combatidos por mais de mil homens.