O sapador florestal de 34 anos suspeito de ter ateado um fogo no concelho da Covilhã vai ficar em prisão preventiva, disse esta terça-feira fonte da Polícia Judiciária (PJ), que deteve este indivíduo na madrugada de segunda-feira.

A medida de coação mais severa foi aplicada ao arguido depois de este ter sido sujeito ao primeiro interrogatório ao longo da manhã de hoje.

Na segunda-feira, o Departamento de Investigação Criminal da PJ Guarda adiantou em comunicado que o suspeito terá ateado o fogo quando efetuava uma ação de prevenção e vigilância da floresta.

O detido é um elemento da própria equipa de sapadores florestais que se encontrava no terreno em missão de prevenção, mas que ateou o fogo de forma dissimulada, por meio de chama direta", apontava a nota de imprensa.

O incêndio em causa deflagrou às 16:47 de domingo, na localidade de Abuceira, freguesia de Erada, no concelho da Covilhã, distrito de Castelo Branco, e arderam "várias centenas de hectares de mata e de floresta, tendo sido colocadas em perigo várias populações existentes na zona".

O combate a este fogo envolveu mais de 300 operacionais, auxiliados por 86 veículos e onze meios aéreos, sendo que o mesmo só foi dado como dominado na segunda-feira, a meio da manhã.