A situação permanece controlada em Góis, depois de o incêndio ter sido dominado, finalmente, ontem, ao fim de cinco dias. No terreno mantém-se as operações de rescaldo e o efetivo foi reduzido praticamente a metade. A Proteção Civil estima que possa ser extinto até sabado.

Depois de uma noite em que a humidade relativa esteve "próxima de 100%", o dia de hoje vai ser muito parecido com o dia de ontem, segundo as indicações dadas pelo IPMA  ao comandante operacional no terreno. 

No balanço que fez pelas 09:00, Pedro Nunes disse que as próximas horas serão de trabalho "por forma a que caso venham a existir reativações sejam debeladas e prontamente extintas".

O incêndio não está extinto, está ainda em fase de rescaldo, vigilância. Estamos a rematar todo o perímetro, com linha de água, manual e máquinas de rasto".

 

No terreno, estão seis pelotões do exército que nos garantem também vigilância e rescaldo

Baixámos um bocadinho os meios que tínhamos (cerca de 1.000, ontem). Neste momento 600 operacionais, 140 veículos e quatro máquinas de rasto é o efetivo que vamos ter todo este dia para permitir garantias de sucesso da operação"

Destaque sobretudo para a redução do número de bombeiros espanhóis, de 141 para 28 homens. Os bombeiros da Andaluzia e da Galiza regressam a casa durante esta manhã. Fica em Portugal apenas a equipa da Estremadura.

"Não tivemos problemas com o SIRESP"

O comandante operacional Pedro Nunes foi ainda questionado pelos jornalistas sobre como tem corrido a coordenação do SIRESP - Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal.

Neste teatro de operações, em Góis, não tivemos qualquer problema com as comunicações do SIRESP".

Já com os habitantes retirados de regresso aos seus lares, a noite foi mais calma e com condições favoráveis ao trabalho dos operacionais, sobretudo devido à subida da humidade relativa, acima dos 60% e à descida da temperatura.

Todos os incêndios dominados, mas não extintos

Todos os incêndios estão dominados a esta hora, apesar de continuarem quase 2.000 operacionais no terreno.

O grosso deste número continua concentrado em Pedrógão Grande e Góis: 1.700 homens, apoiados por 650 viaturas.

Para além de Góis, estão em fase de conclusão, Pedrógão Grande, Torre de Mocorvo, em Bragança, Sernancelhe, em Viseu, e Penela, no distrito de Coimbra. Todos lavram há mais de 24 horas.

Juntam-se mais dois no distrito de Castelo Branco. Ainda em resolução, há um incêndio em Miranda do Douro, distrito de Bragança.

Risco máximo de incêndio

Mais de duas dezenas de concelhos, de seis distritos do continente, estão hoje em risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). São eles:

Santarém

  • Abrantes
  • Mação 

Portalegre

  • Gavião
  • Nisa
  • Marvão

Castelo Branco

  • Vila de Rei
  • Proença-a-Nova
  • Vila Velha de Ródão

Faro

  • Monchique 
  • Loulé
  • Tavira
  • São Brás de Alportel
  • Alcoutim
  • Castro Marim 

Viseu

  • Tabuaço 

Bragança

  • Mêda
  • Vila Nova de Foz Coa
  • Torre de Moncorvo
  • Freixo de Espada à Cinta
  • Alfândega da Fé
  • Mogadouro
  • Bragança
  • Vimioso 

O IPMA colocou também em risco muito elevado e elevado de incêndio vários concelhos dos 18 distritos de Portugal continental.

Tempo para hoje

Prevê-se céu geralmente limpo, apresentando-se temporariamente nublado no litoral das regiões Norte e Centro até ao início da manhã e vento fraco, soprando moderado de noroeste no litoral oeste e nas terras altas, em especial durante a tarde.

A previsão aponta ainda para neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais do Norte e Centro, em especial no litoral, pequena descida da temperatura mínima, em especial nas regiões Norte e Centro e pequena subida da na região Sul.

No que diz respeito às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 17 e 29 graus Celsius, no Porto entre 14 e 23, em Vila Real entre 13 e 28, em Viseu entre 12 e 27, em Bragança entre 14 e 30, na Guarda entre 12 e 27, em Coimbra entre 14 e 27, em Castelo Branco entre 15 e 34, em Santarém entre 15 e 31, em Leiria entre 15 e 25, em Portalegre entre 15 e 32, em Évora entre 14 e 35, em Beja entre 15 e 35 e em Faro entre 19 e 32.