Vinte e seis concelhos de Portugal continental apresentam risco máximo de incêndio nesta segunda-feira, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

De acordo com o IPMA, Monchique, no distrito de Faro, Mação, Vila de Rei, Sertã ,Sardoal, Pampilhosa da Serra, Gois, Oleiros, Figueiró dos Vinhos, Miranda do Corvo, Arganil, Sabugal, Guarda, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Trancoso, Vila Nova de Paiva, São Pedro do Sul, Castro de Aire, Vale de Cambra, Castelo de Paiva, Cinfães, Arouca e Povoa do Lanhoso, Ponte da Barca e Caminha, apresentam hoje risco máximo.

Também mais de 100 concelhos portugueses de norte a sul do país, com incidência para o centro, apresentam risco muito alto de incêndio, enquanto as restantes regiões do país encontram-se entre o elevado e o moderado.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

No domingo, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 382 incêndios que foram combatidos por 7.850 operacionais, com o apoio de 2.021 meios terrestres e 125 aéreos.

Para hoje, o IPMA prevê para as regiões norte e centro, céu pouco nublado ou limpo, aumentando temporariamente de nebulosidade no interior da região Centro durante a tarde, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros. No final do dia, prevê-se que o céu se torne geralmente muito nublado no litoral. Pequena subida da temperatura mínima e descida da temperatura máxima no litoral.

Já para a região sul, o IPMA prevê céu com períodos de muita nebulosidade, aguaceiros, mais prováveis no Baixo Alentejo e Algarve, onde poderão ser acompanhados de trovoada. Pequena descida da temperatura máxima no litoral.

Quanto às  temperaturas, as máximas vão oscilar entre os 26 graus Celsius previstos em Sagres, a cidades com temperatura mais baixa hoje, contrastando com os 38 de máximas previstos para Évora e Beja, as cidades mais quentes.

Em Lisboa, vão variar entre 22 e 34 graus Celsius, em Bragança entre 14 e 34, em Viseu entre 18 e 34, em Coimbra 17 e 33, na Guarda 19 e 31, Portalegre entre 24 e 36, Évora entre 20 e 38, Beja entre 21 e 38, em Faro 24 e 29, em Santarém entre 19 e 35, no Funchal entre 21 e 28, em Ponta Delgada entre 18 e 25, em Angra do Heroísmo entre 19 e 26 e em Santa Cruz das Flores entre 20 e 25.

Para o arquipélago da Madeira, o IPMA prevê para hoje céu geralmente muito nublado, diminuindo de nebulosidade a partir da tarde. Para o arquipélago da Madeira, o IPMA prevê para hoje céu geralmente muito nublado, diminuindo de nebulosidade a partir da tarde.
 

Braga, Viana do Castelo e Vila Real mais afetados


Os distritos de Braga, Viana do Castelo e Vila Real são os mais afetados por incêndios, encontrando-se ativos oito, com o de Vila Nova de Cerveira, que deflagrou sábado, a ser com batido por cerca de 300 bombeiros.

Segundo o último balanço da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), divulgado às 07:45, estão neste momento em curso oito “ocorrências significativas”, ou seja, fogos que duram há mais de 3 horas e que contam com mais de 15 bombeiros para combater as chamas.

A ocorrência mais preocupante é o incêndio florestal que deflagrou sábado em Vila Nova de Cerveira é aquele que envolve mais meios, com 286 operacionais, apoiados por 95 meios terrestres.

O fogo que deflagrou na freguesia de Candemil e Gondar, que teve início pelas 11:16 de sábado, mantém três frentes ativas em zona de floresta.

O incêndio que lavrava desde domingo numa zona de mato da freguesia de Chamoim e Vilar, no concelho de Terras de Bouro (Braga) já está dominado, estando outros oito em curso, indicou a ANPC.

Já o fogo, em zona de mato, que deflagrou na no domingo à tarde, na freguesia de Tourém, Parque Nacional da Peneda do Gerês, Montalegre, distrito de Vila Real, tem agora uma frente ativa, mas reforçou os meios, estando a ser combatido por 75 operacionais, apoiados por 20 meios terrestres.

No concelho de Monção, Viana do Castelo, estão 141 operacionais a combater um fogo que começou no sábado, apoiados por 46 meios terrestres, e que conta atualmente com duas frentes ativas, desde a última atualização no site da ANPC, das 7:45.

Por seu turno, o combate ao incêndio que lavra na freguesia de Balança, concelho de Terras de Bouro, distrito de Braga, que teve início pelas 10:10 de domingo, tem agora 82 homens a combater as duas frentes que se mantêm ativas, apoiados por 29 meios aéreos.

Também com duas frentes ativas encontra-se o incêndio da freguesia de Poiares, concelho de Ponte de Lima, distrito de Viana do Castelo, que teve inicio também domingo, com o alerta a ser dado pelas 12:52.

O incêndio em área de mato está a ser combatido por 55 operacionais, apoiado por 16 meios terrestres.

Os dados sobre os incêndios foram atualizados pelas 7:45 no site ANPC, que dá conta de oito incêndios em curso, embora só estejam na página os detalhes das ocorrências mais significativas.

No domingo, a Proteção Civil registou 382 incêndios que foram combatidos por 7.850 operacionais, com o apoio de 2.021 meios terrestres e 125 aéreos.