De todo o território que já ardeu este ano na União Europeia, quase metade corresponde à área ardida em Portugal. Segundo os números provisórios do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais (EFFIS), baseados em imagens de satélite, e consultados pela TVI24, já arderam 559 mil hectares de território da UE, dos quais 224 mil arderam no nosso país.

Este tem sido um ano negro para a floresta nacional, com Portugal a liderar, destacado, no que respeita à área ardida. Em segundo lugar, mas bastante distanciada, está a Itália, que regista 131 mil hectares de área queimada.

Isto significa que em países com muito mais território do que Portugal os fogos estão a ter um impacto muito menor. Por exemplo, Espanha regista uma área ardida de cerca de 61 mil hectares, ou seja, quase quatro vezes menos do que Portugal.

Relativamente ao número de incêndios, dos 1416 grandes fogos que afetaram mais de 30 hectares na União Europeia, 225 ocorreram em território português.

Os números do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais baseiam-se em imagens de satélites e, por isso, não incluem a totalidade dos incêndios e, consequentemente, da área ardida. Além disso, o EFFIS não tem dados sobre todos os países europeus.

O ano de 2017 já é o terceiro ano com mais área ardida em Portugal, desde 1980, quando foram feitos os primeiros registos oficiais.

De acordo com a base de dados Pordata, 2003 foi o ano em que ardeu mais território em Portugal, cerca de 426 mil hectares, seguido de 2005, quando se registaram 339 mil hectares de área ardida.