A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registava às 16:30 desta quinta-feira “seis incêndios principais em curso”, localizados nos distritos de Coimbra, Portalegre, Viseu e Guarda, onde se concentra “o maior esforço” no combate às chamas.

Não obstante, temos ainda dominado, mas com todos os operacionais no terreno, o incêndio da Sertã, que ficou dominado hoje pelas 11:00”, declarou à agência Lusa a adjunta de operações da ANPC Patrícia Gaspar.

Relativamente aos seis incêndios ativos, a responsável da Proteção Civil destacou o fogo que lavra no concelho de Penacova, no distrito de Coimbra, que se encontra com “três frentes ativas”, embora apresente “uma situação em que o incêndio começa a ceder aos meios”.

A suscitar a preocupação da ANPC estão também os dois fogos em Nisa, um em Albarrol e outro em Portas de Ródão, no distrito de Portalegre, uma vez que ambos se encontram ativos com os meios de combate no terreno, “mas sem neste momento estarem a oferecer nenhum perigo imediato a nenhuma população”.

Entretanto, já depois destas declarações, a aldeia de Falagueira, no concelho de Nisa, distrito de Portalegre, voltou esta quinta-feira à tarde a ser evacuada, devido à ameaça dos incêndios que lavram na zona, segundo fonte da autarquia.

Ainda no distrito de Portalegre está ativo o incêndio que lavra na localidade de Belver, no concelho de Gavião, onde ocorreram “muitas reativações”, pelo que a Proteção Civil mantém “as operações de combate em curso”.

Já no distrito de Viseu, há registo de um incêndio no concelho de Mangualde, que se encontra “muito ativo, com uma frente ativa”, indicou Patrícia Gaspar, referindo que “a zona mais crítica poderá ser a aldeia de Contenças, onde a Proteção Civil está “a concentrar todos os meios”.

Dentro dos seis incêndios principais em curso está ainda um incêndio na Guarda, na localidade de Vila Fernando, “com duas frentes ativas e onde foi necessário cortar a linha ferroviária da Beira Alta, entre Guarda e Vilar Formoso”, avançou a responsável da ANPC, indicando que o corte da linha ferroviária aconteceu cerca das 15:45 desta quinta-feira.

O incêndio rural que esta quinta-feira destruiu uma casa de primeira habitação na freguesia de Vila Fernando, no concelho da Guarda, deixando desalojado um homem com 54 anos, encontra-se entretanto em fase de resolução.

Segundo informação disponível na página da Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), pelas 17:00 o fogo estava em resolução (incêndio sem perigo de propagação para além do perímetro já atingido) e envolvia no seu combate 84 elementos, auxiliados por 26 viaturas.