Vários concelhos do interior norte e centro de Portugal Continental apresentam este sábado risco máximo de incêndio, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo informação disponibilizada na página da internet do IPMA, os concelhos com risco máximo de incêndio localizam-se sobretudo nos distritos da Guarda, Viseu, Santarém, Castelo Branco e Vila Real, mas também no Porto, Braga, Aveiro, Coimbra e Leiria.

Em risco muito elevado de incêndio permanece toda a mancha do interior que vai de Trás-os-Montes ao Ribatejo.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 de cada dia da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.

Quatro incêndios em Portugal dominam as atenções da Proteção Civil portuguesa com um total de 340 operacionais apoiados por 86 viaturas no terreno, noticia a Lusa.

O calor que se vai fazer sentir no país durante o fim de semana aumenta os receios de novos incêndios.

Na sexta-feira, a Polícia Judiciária deteve hoje um homem de 20 anos «fortemente suspeito» de ter ateado um incêndio florestal «de grandes dimensões» na serra do Caramulo, distrito de Viseu, e no qual perderem a vida os bombeiros de Estoril e Alcabideche.

Fonte oficial da Polícia Judiciária (PJ) disse à agência Lusa que o «suspeito, agindo em colaboração com um outro indivíduo, este emigrante e atualmente no estrangeiro, ateou vários focos de incêndio na Serra do Caramulo, nos concelhos de Vouzela e Tondela, no dia 20 de agosto, que se transformaram num fogo de grandes dimensões.

A mesma fonte disse à agência Lusa que o suspeito, de 20 anos e desempregado, terá agido por vingança, depois de lhe ter sido aplicada uma multa pela GNR.



Este sábado realiza-se o funeral da bombeira de 21 anos, da corporação de Carregal do Sal, a última vítima dos fogos em Portugal no verão de 2013.