Estão dominados os incêndios da Pampilhosa da Serra e de Castro Daire.

O fogo que deflagrou na sexta-feira à noite na Pampilhosa da Serra, distrito de Coimbra, foi considerado dominado pouco depois das 11:00, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

No terreno mantêm-se, no entanto, quase 600 operacionais, apoiados por 170 veículos e dois meios aéreos.

Uma casa, uma garagem e várias máquinas agrícolas já arderam neste incêndio, segundo o presidente da câmara local, José Brito.

O fogo, que teve início pelas 23:20 de sexta-feira, em povoamento florestal próximo de Castanheiro, localidade da freguesia de Fajão e Vidual, alastrou ainda ao concelho de Arganil, também no distrito de Coimbra.

O incêndio obrigou os dois municípios a ativarem o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil.

Dois bombeiros de Cantanhede ficaram feridos neste incêndio, na sequência de um acidente com um autotanque.

Também o incêndio em Castro Daire, no distrito de Viseu, encontra-se em fase de resolução. No combate às chamas na localidade de Vitoreira, freguesia do Cabril, estão 95 operacionais, com o apoio de 31 veículos e dois meios aéreos.

Este fogo teve início às 15:08 de segunda-feira e obrigou ao corte da Estrada Nacional 225 entre Ester e Cabril.

Em fase de resolução está ainda o fogo em Oliveira de Azeméis (Aveiro), que mobiliza agora apenas 29 elementos.

Bombeiros feridos em Arganil já tiveram alta

Os dois bombeiros voluntários de Cantanhede que sofreram um acidente de viação na segunda-feira em Arganil já tiveram alta hospitalar, disse à agência Lusa o comandante da corporação, José Oliveira.

Os bombeiros, de 41 e 38 anos, sofreram ferimentos na sequência de um acidente com um camião tanque que se despistou cerca das 14:20, na zona de Teixeira, caindo por uma ribanceira com cerca de 20 metros, quando estavam no combate ao incêndio que deflagrou sexta-feira em Pampilhosa da Serra.

Os dois elementos foram transportados num helicóptero do INEM para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e tiveram alta já durante o dia de hoje.

"Um teve alta hospitalar às 05:00 e o outro por volta das 09:00, não se confirmando as piores suspeitas", disse o comandante José Oliveira, acrescentado que os dois bombeiros apresentam apenas escoriações.

Mais de 70 concelhos em risco máximo

Mais de 70 concelhos de 14 distritos de Portugal continental apresentam hoje risco ‘máximo’ de incêndio, incluindo Coimbra e Viseu, que têm três fogos ativos, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o instituto, em causa estão mais de 70 concelhos dos distritos de Faro, Beja, Portalegre, Leiria, Santarém, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Viseu, Aveiro, Porto, Braga, Vila Real e Bragança.

O IPMA colocou ainda em risco ‘muito elevado’ e ‘elevado’ de incêndio vários concelhos de quase todos os distritos do continente (18).

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre o ‘reduzido’ e o ‘máximo’.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente limpo, apresentando-se geralmente muito nublado e com neblina ou nevoeiro no litoral oeste até meio da manhã, nebulosidade que poderá persistir em alguns locais da faixa costeira e vento em geral fraco do quadrante leste, tornando-se temporariamente do quadrante oeste durante a tarde.

No que diz respeito às temperaturas, as mínimas vão variar entre 7 graus Celsius (em Bragança) e os 20 (em Portalegre) e as máximas entre 21 (em Viana do Castelo) e 34 (em Santarém).