O Exército português tem 212 militares, quatro máquinas de rasto e 51 viaturas a apoiar o combate aos incêndios que lavram no país, foi hoje anunciado.

Em comunicado, o Exército explica que os meios estão divididos em três equipas de ligação, quatro destacamentos de engenharia, sete pelotões de Vigilância e Rescaldo Pós-Incêndio e 12 Patrulhas de Vigilância e Dissuasão.

O apoio do Exército é coordenado pelo Centro de Operações de Apoio Militar de Emergência, a partir do Regimento de Apoio Militar de Emergência, em Abrantes.

Os meios do Exército português estão a apoiar as operações de Pombal, Mortágua e Pampilhosa da Serra, e no patrulhamento em Bragança, Vila Real e Viseu.

Segundo a mesma nota estão também efetivos em prontidão com o intuito de reforçar o apoio à Autoridade Nacional de Proteção Civil, bem com a outras entidades envolvidas e ainda colaborar em tarefas relacionadas com a satisfação das necessidades básicas e na melhoria da qualidade de vida das populações.

Seis fogos de grandes dimensões estão a lavrar em vários pontos do país.

Na Pampilhosa da Serra, o fogo, que começou pouco depois das 23:00 de sexta-feira e que está a ser combatido por 573 operacionais, ajudados por seis meios aéreos e 170 meios terrestres, já progrediu para Arganil.

O incêndio de Mortágua, no distrito de Viseu, é outros dos seis fogos de maiores dimensões referidos no site da Autoridade Nacional para a Proteção Civil, tendo 310 operacionais 98 meios terrestres e quatro aéreos.

Este incêndio, que lavra desde o início da tarde de sábado, já levou à ativação do plano municipal de emergência em Mortágua, e obrigou à retirada de pessoas de algumas habitações daquele concelho e do município de Anadia, por precaução.

Cinco meios aéreos e 285 operacionais estiveram a combater o fogo do concelho de Alvaiázere, no distrito de Leiria, que começou no sábado cerca das 16:00 e ficou dominado ao final da tarde deste domingo.

Na madrugada de hoje, cerca das 02:00 deflagrou um incêndio na localidade de Veigas, no concelho de Bragança estando a ser combatido por um meio aéreo, 91 operacionais e 25 meios terrestres.

Os outros incêndios entre as ocorrências principais referidas pela Proteção Civil são em Vila Nova de Paiva, no distrito de Viseu, que tem três meios aéreos e 68 operacionais, e em Ribeira de Pena, no distrito de Vila Real, com um meio aéreo e 47 operacionais.