Comunicações de emergência revelam a aflição dos bombeiros face à falta de meios para apagar os fogos, no passado domingo. A TVI revelou, em exclusivo, no Jornal das 8, conversas entre o posto de comando e bombeiros que tentavam combater as chamas em localidades como Tarrastal, Alvarim, Coval, no centro do país 

Durante as comunicações, os bombeiros pedem ajuda e a resposta repete-se: não há meios. Não há carros, não há água.

Sobra, apenas, a vontade e o desespero de quem tenta tentar lutar contra um fogo, que com tudo acaba.

Estou aqui a fazer o milagre da multiplicação com os meios existentes", ouve-se, por fim.

Aqui fica parte do que se ouve nas comunicações obtidas pela TVI.

- Central Tondela, contacte com a GNR para cortarem a estrada para Alvarim. Cortem a estrada para Alvarim! Urgente.

- Aqui Central Tondela. Recebido e vai proceder".

 

- Central Tondela ...

- Comandante, aqui Central Tondela. Escuto.

- Ó Central mande uma ambulância para Tarrastal. Tarrastal... Mas não sei se é possivel cá chegar. Não sei se é possivel cá chegar. Pela parte de Alvarim é negativo. Pela outra parte presumo que não.

 

- Vou na estrada de Alvarim. Intransponível. Não há hipótese de passar.

- Reforça aí, reforça aí ao CDOS, meios para aí. Reforça aí ao CDOS.

 

- ... Tondela ... 

- Estou à escuta. 

- Informo que neste momento estamos completamente cercados mas em segurança. Neste momento não conseguimos fazer mais nada. Não temos hipótese de fazer mais nada.

 

- Têm de vir meios para aqui. Rápido.

- Chefe Morais, qual a povoação?

- Está tudo completamente em chamas. Casas e tudo... Não temos hipóteses. 

- Chefe Morais, qual a povoação?

- Povoação do Coval. Povoação do Coval.

- Escuto. 

- Isto está uma calamidade. Isto está uma calamidade.

- Precisava aqui de mais um carro. Isto vai arder tudo. 

- Não tenho João. Não tenho! 

- Ó chefe eu fiquei sem água. Tenho de ir abastecer o carro. Não consigo trabalhar aqui na aldeia. 

- Vens para baixo. Vens para baixo até aqui onde eu me encontro. Vens para baixo.

- Ó chefe Morais, mais meios. Mais meios. Estou farto de pedir e não vêm meios. Isto vai ser uma catástrofe. Vai arder tudo. 

- Estamos na estrada de Alvarim e não conseguimos passar para baixo. Estamos completamente cercados. Estamos completamente cercados. 

 

- Tens de multiplicar esses meios porque não há mais meios. 

- Eu sei. É isso que eu estou a fazer. Estou aqui a fazer o milagre da multiplicação com os meios existentes.