O incêndio que lavra desde o meio-dia de terça-feira em São Pedro do Sul permanece ativo, com uma frente com cerca de dois quilómetros de extensão, e chegou a ameaçar a aldeia de Ameixiosa, revelou o comandante dos bombeiros.

O comandante dos Bombeiros da Salvação Pública de São Pedro do Sul, Eduardo Boloto, disse à agência Lusa que as casas da Ameixiosa chegaram a estar em perigo, com as chamas a chegar «muito perto», mas foi possível evitar danos maiores, tendo apenas ardido mato e eucaliptal.

No combate ao incêndio permaneciam, por volta da meia-noite, 50 homens, estando já mobilizados mais reforços que devem chegar ao local do incêndio durante a noite.

«O número de bombeiros a combater o fogo não deverá baixar dos 50 a 60 homens durante a noite», garantiu Eduardo Boloto, que acrescentou que o maior obstáculo que os bombeiros enfrentam é o vento, que tem dificultado os trabalhos.

Eduardo Boloto afirmou não ser possível fazer qualquer previsão de quando estará o incêndio controlado.

De acordo com o comandante dos bombeiros, o incêndio deflagrou ao início da tarde, numa zona de floresta entre Nodar e Sequeiros, e chegou a contar com sete frentes ativas.

A meio da tarde de terça-feira já só permaneciam ativas três frentes de fogo.