O incêndio em Abrantes, no distrito de Santarém, fez um total de 19 feridos leves, enquanto o fogo que lavra na Mealhada, em Aveiro, provocou três vítimas civis e um bombeiro, todos feridos ligeiros, informou a Proteção Civil.

Na Trofa/Maia, distrito do Porto, há registo de dois feridos leves, um bombeiro e uma criança.

No incêndio em Abrantes, temos um total identificado de 19 feridos leves, portanto nada de grave. São ferimentos ligeiros: entorses, quedas, algumas inalações de fumo”, avançou a adjunta de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) Patrícia Gaspar, indicando que “algumas destas vítimas acabaram por ser assistidas apenas no teatro de operações e puderam rapidamente retomar a sua atividade”.

Também em Abrantes, um avião médio anfíbio que combatia o incêndio embateu durante a tarde nas linhas de transporte de eletricidade, na zona de Braçal, tendo feito uma aterragem de emergência e ficado inoperacional.

Já o fogo que “está muito ativo” no concelho da Mealhada, no distrito de Aveiro, provocou três vítimas civis e um bombeiro, todos feridos ligeiros.

A Proteção Civil destacou esta sexta-feira, pelas 19:00, a ocorrência de cinco fogos que lavram nos distritos de Santarém, Aveiro, Coimbra, Lisboa e Viseu, indicando que foi necessário fazer “defesas perimétricas” para proteção das aldeias e das populações afetadas.

A adjunta de operações da ANPC lembrou ainda o acidente que ocorreu durante as operações de combate ao incêndio com “uma aeronave, um avião médio anfíbio Fire Boss, integrado no dispositivo especial de combate aos incêndios, que embateu nos cabos de média tensão”, referindo que fruto desta situação o avião “teve de proceder a uma aterragem de emergência no centro de meios aéreos de Proença-a-Nova, felizmente sem ferimentos para o piloto, que saiu ileso, mas tendo a aeronave ficado inoperativa”.

A Proteção Civil não tem ainda informação do que é que esteve na origem do acidente com esta aeronave, mas assegurou que “todos os pormenores associados ao que aconteceu esta tarde serão avaliados e serão investigados pelas autoridades competentes, designadamente o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos”.

Ativado Plano de Emergência Municipal em Coimbra

O presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, ativou o Plano Municipal de Emergência, pelas 19:40 de sexta-feira, devido a um incêndio florestal que lavra com intensidade na zona de Lamarosa.

As chamas “podem atingir habitações” na povoação de Casal do Bom Despacho, na freguesia de Lamarosa, disse à agência Lusa o autarca.

Estão mobilizados todos os meios disponíveis”, acrescentou Manuel Machado, sublinhando que são necessários “todos os cuidados”.

O fogo que está a atingir aquela zona do concelho, na área limite com os municípios de Cantanhede e de Montemor-o-Velho, teve origem esta sexta-feira, pelas 14:50, em povoamento florestal, na área de Portunhos, no município de Cantanhede.

De acordo com a página da Proteção Civil na internet, o incêndio estava a ser combatido, pelas 20:00, por 227 operacionais, apoiados por 61 veículos e três meios aéreos.

O incêndio que deflagrou na quinta feira, na zona de Barcouço, concelho da Mealhada, também já alastrou ao município de Coimbra, na área de Vil de Matos e Mourelos, progredindo igualmente com violência e suscitando também "muita preocupação", disse Manuel Machado.