"O incêndio está na área do Parque Natural, o que tem contribuído para dificultar o combate, já que em fogos de montanha somos sempre confrontados com ventos cruzados e também com acessos muito difíceis", referiu José Oliveira, que está a comandar os trabalhos no teatro de operações.

Segundo este responsável, o incêndio tinha, cerca das 20:15, duas frentes distintas, uma que evoluía em direção ao concelho de Manteigas e outra em direção à zona de Folgosinho, concelho de Gouveia, mas estando ambas ainda a uma "distância considerável de qualquer localidade".

 

"Ainda não tivemos pessoas ou qualquer habitação em perigo e tudo faremos para que assim se mantenha", apontou.

Recusando avançar qualquer previsão sobre a altura em que o fogo poderá ser dominado, o comandante adiantou, todavia, que espera que as condições de combate melhorem com o "arrefecimento noturno e o aumento da humidade".

Segundo os dados disponibilizados no sítio da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil, o alerta para este fogo - que lavra no concelho de Gouveia, distrito da Guarda - foi dado às 14:46, tendo estado também envolvidos no combate meios aéreos.