O total de área ardida este ano foi de 19.867 hectares, o segundo valor mais mais baixo dos últimos 35 anos, tendo ardido menos 86% de área do que em 2013, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo secretário de Estado da Administração Interna.

 

João Almeida esteve na comissão parlamentar de Agricultura para fazer o balanço dos incêndios até segunda-feira, tendo dito que este ano houve menos 86% de área ardida em comparação com 2013 e menos 80% em relação à última década.

 

O mês de agosto foi o que registou mais área ardida - 7.471 hectares -, tendo sido o distrito da Guarda aquele com mais área consumida pelo fogo, pouco mais de cinco mil hectares.

 

«Num ano perfeitamente atípico em termos meteorológicos como foi este, temos valores, a todos os níveis, que estão muito próximos dos registados em 2007 e 2008», disse João Almeida.

 

Relativamente ao montante gasto pelo Estado este ano com o combate aos fogos - perto de 2,8 milhões de euros -, dos quais 2,5 milhões já estão liquidados, João Almeida indicou ser um valor inferior ao que estava orçamentado.

 

De 01 de janeiro até à última segunda-feira registaram-se em Portugal 7.186 ocorrências, «o valor mais baixo do decénio e menos 65% que a média do decénio», referiu.

 

O secretário de Estado disse ainda que o total de ocorrências foi o valor mais baixo dos últimos 25 anos e que foi 63% inferior ao registado em 2013.

 

«85% por cento das ocorrências foram fogachos», sublinhou, congratulando-se com o facto de, este ano, 71% das ocorrências terem sido diurnas e 29% nocturnas.

 

O ano passado, 40% das ocorrências foram diurnas e 60% nocturnas.