Dois irmãos perderam a vida este domingo a tentar salvar o negócio das chamas, numa aldeia de Penacova, distrito de Coimbra. Os incêndios que devastaram o país fizeram pelo menos seis mortos, segundo a Proteção Civil. Quatro vítimas mortais foram registadas no distrito de Coimbra. 

Em Penacova as chamas não deram tréguas aos bombeiros. Foi a tentar salvar o negócio do fogo que dois irmãos perderam a vida neste domingo. Eram apicultores e tentavam defender os armazéns. 

"Um tinha à volta de 41, 42 anos. O outro era mais novo, devia ter 38 anos ", relatou uma testemunha à equipa de reportagem da TVI.

Tudo aconteceu ao final da tarde, por volta das 18:00. Segundo este popular, o fogo ganhou tal dimensão que os bombeiros que estavam no local não conseguiram entrar na zona onde estavam estes irmãos.

"Os bombeiros estavam cá, mas não conseguiam lá entrar. As chamas eram tantas... Era impossível. Isto foi uma tragédia muito grande", sublinhou.

Pelo menos seis pessoas morreram este domingo em incêndios que devastaram várias zonas do país. A Proteção Civil informou que este foi o "pior dia do ano em matéria de incêndios".

O primeiro-ministro, António Costa, esteve esta madrugada na sede da Proteção Civil para se inteirar da situação e, em declarações aos jornalistas, informou que o Governo declarou calamidade pública para os distritos a norte do Tejo.