A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta sexta-feira a detenção de um homem, de 29 anos, sobre o qual recaem “fortes indícios” da autoria de três incêndios florestais nas imediações de Évora, ocorridos no início de agosto.

O suspeito foi detido por elementos da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da PJ, em colaboração com a GNR e a PSP de Évora.

Segundo a PJ, em comunicado, os incêndios em causa ocorreram em terrenos próximos da ecopista da cidade, em zonas de mato e olival, e foram “presumivelmente provocados” pelo homem agora detido “por motivo fútil”.

“Os fogos terão sido postos na vegetação rasteira” existente naqueles locais “com recurso a chama direta e provocaram a destruição de cerca de 20 mil metros quadrados de coberto vegetal”, incluindo danos em árvores e em algumas centenas de fardos de palha que se encontravam num dos locais.

A PJ realçou, também, que os danos causados pelas chamas “só não foram maiores em virtude da rápida ação dos bombeiros”.

O detido, já anteriormente condenado pela prática de crime de furto, vai ser presente esta sexta-feira ao primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coação consideradas adequadas.

A Polícia Judiciária já identificou e deteve, este ano, 46 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.