Há seis grandes incêndios a preocupar a Proteção Civil nesta segunda-feira e que concentram mais de 1.100 operacionais no terreno.

O reacendimento na Covilhã, distrito de Castelo Branco, de um fogo que estava dominado desde domingo, mas que lavra agora com três frentes, obrigava, às 21:00 de hoje, à intervenção de 432 operacionais e 127 viaturas.

O incêndio deflagrou às 15:18 de sábado, em Barrigais, freguesia de Covilhã e Canhoso, e obrigou à evacuação de uma aldeia e de um parque de campismo, num total de 90 pessoas.

Outro fogo que progrediu com grande intensidade durante a manhã e mobiliza vários meios é o do concelho de Porto de Mós, distrito de Leiria.  

Começou na tarde de domingo, naquele que foi o dia com mais fogos desde o início do ano, e lavra com duas frentes ativas, no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, apesar de não ameaçar habitações.

Por precaução, um grupo de jovens que se encontrava numa colónia de férias na Quinta da Escola, em Alvados, Porto de Mós, foi levado para o Centro de Ciência Viva do Alviela, no distrito de Santarém.

No terreno, pelas 21 horas, estavam 228 operacionais e 71 viaturas.

Outros incêndios

Já em Terras de Bouro, no distrito de Braga, mais de 140 operacionais, apoiados por 36 veículos, combatem um incêndio em Rio Caldo, que "anda perto" de habitações "mas sem as ameaçar", adiantou à Lusa fonte dos bombeiros locais.

O alerta foi recebido às 10:53 para um incêndio numa "zona de mato na encosta do outro lado ao Santuário do São Bento da Porta Aberta".

"O reforço de meios ao longo do dia deve-se à zona de mato intenso, ao calor, à aproximação a habitações. O fogo está perto de habitações, maioritariamente casas de férias junto à albufeira, mas sem as ameaçar", salientou a mesma fonte.

No distrito de Viseu lavram dois incêndios de grande dimensão. Em São Pedro do Sul, mais de duas centenas de operacionais estão a combater um fogo que deflagrou ao início da tarde de hoje em Manhouce, numa zona de povoamento florestal.

Encontram-se no combate às chamas 209 elementos, apoiados por 58 viaturas.

No concelho de Resende, 72 bombeiros combatem um incêndio na aldeia de Talhada. No domingo, um piloto morreu na queda de um helicóptero enquanto fazia o combate às chamas em Castro Daire, no mesmo distrito. Esse incêndio já não consta da página da Proteção Civil nesta segunda-feira.

Em Melgaço, distrito de Viana do Castelo, um incêndio que deflagrou nesta madrugada na localidade de Campo do Souto, está a ser combatido por 59 bombeiros, apoiados por 17 viaturas. 

Risco máximo de incêndio 

Entretanto, atenção que vários concelhos na grande maioria dos distritos de Portugal continental estão hoje em risco máximo de incêndio, de acordo com informação disponibilizada na página do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) na Internet.

À exceção dos distritos de Évora, Setúbal, Beja e Lisboa, todos os outros têm vários concelhos em risco muito elevado de incêndio. No entanto, nestes quatro distritos há concelhos com risco muito elevado e elevado de incêndio.

Além disso, o IPMA colocou sob aviso laranja nove distritos devido à “persistência de valores elevados da temperatura máxima”.

Até às 20:59 de hoje estão sob aviso laranja os distritos de Bragança, Viseu, Guarda, Vila Real, Castelo Branco, Portalegre e Braga, Santarém e Coimbra. Este aviso é o segundo mais grave de uma escala de quatro e indica situação meteorológica de risco moderado a elevado.

Entretanto, termina hoje à meia-noite de hoje o estado de calamidade pública preventivo decretado pelo governo na sexta-feira.