O presidente da Câmara de Tondela, Carlos Marta, informou ao início da tarde que o incêndio onde morreu hoje uma bombeira e outros cinco ficaram feridos, no concelho de Tondela, está mais calmo mas ainda não está dominado.

O incêndio na povoação de Muna, freguesia de Santiago de Besteiros, deflagrou por volta das 09:00 de hoje e inicialmente não inspirava grandes preocupações.

«Estava no posto de comando, por causa do fogo da Serra do Caramulo, quando ouvimos o pedido de socorro de um bombeiro para este incêndio», revelou Carlos Marta.

De acordo com o autarca de Tondela, o pedido de socorro «foi dramático», gerando-se alguma confusão com o local da ocorrência.

«O bombeiro pedia socorro para Portadela, mas como há duas localidades com esse nome, uma na zona da Serra do Caramulo e outra em Muna, houve uma certa confusão», descreveu.

Carlos Marta explicou que o incêndio, devido à intensidade do vento, «fez um efeito chaminé», que apanhou os bombeiros desprevenidos.

«Morreu uma bombeira da corporação de Carregal do Sal e outros cinco ficaram feridos, dois deles com gravidade. Também ardeu um carro da mesma corporação», referiu.

O autarca, que juntamente com o vice-presidente e a vereadora da Proteção Civil acompanhava as operações de socorro aos bombeiros feridos em Santiago de Besteiros, onde estavam estacionadas várias ambulâncias, lamentou a morte de um terceiro bombeiro por causa dos fogos no concelho a que preside.

«É uma tristeza muito grande. É a terceira morte que se lamenta em poucos dias», acrescentou.

A vereadora da Proteção Civil da Câmara de Tondela, Carla Pires, revelou ainda que ao início da tarde as grandes preocupações estarão centradas no incêndio que lavra na Serra do Caramulo, desde quarta-feira de manhã.

«Este incêndio inspira sérias preocupações, já que está com frentes descontroladas. É como se fosse um leque que irradiou e se estendeu», apontou.

Carla Pires informou que está ativa uma frente na zona do Caramulinho e uma outra a descer na zona de Águeda.

«Tudo o que está neste meio está a arder», concluiu.