O tribunal da Feira adiou 'sine die' a leitura do acórdão do julgamento de um ex-bombeiro acusado de ter ateado três incêndios florestais em 2016, no concelho de Oliveira de Azeméis.

O adiamento da audiência, que estava marcada para esta treça-feira, ficou a dever-se ao facto de o arguido não ter comparecido no tribunal, nem ter dado qualquer justificação.

O homem foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) na sequência de uma investigação relacionada com inúmeros incêndios que deflagraram quase diariamente, em diversos lugares de Oliveira de Azeméis, no verão de 2016.

Na altura, a PJ disse que o arguido, residente em Fajões, estava “fortemente” indiciado pela autoria de 26 incêndios florestais ocorridos naquele concelho. No entanto, o Ministério Público (MP) só encontrou indícios para o acusar de três incêndios, ocorridos a 4 e 25 de julho e 16 de agosto. O processo relativamente às outras 23 situações foi arquivado.

O incêndio de 25 de julho foi o que assumiu maiores proporções, tendo consumido uma área de cinco hectares de floresta. Para combater este fogo tiveram de ser mobilizadas 14 corporações de Bombeiros do distrito.