Os apoios aos agricultores que tiveram prejuízos devido aos incêndios de outubro deverão ser pagos até ao fim do ano. O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, estimou que sejam apresentadas 20 mil candidaturas.

No concelho de Oliveira de Frades, Viseu, o governante disse que, até terça-feira, deram entrada “cerca de 16 mil candidaturas, a que está associada uma despesa que será suportada pelo Ministério da Agricultura na ordem dos 46 milhões de euros”. "É provável que, nos dois dias que faltam, apareçam ainda algumas candidaturas”.

Capoulas Santos comparou estes números aos relativos aos dos incêndios de Pedrógão Grande, ocorridos em junho.

No caso de Pedrógão, demos apoio a 2.126 agricultores, a que correspondeu um apoio de 4,3 milhões de euros. Estamos aqui perante uma situação que significa dez vezes aquilo que aconteceu em Pedrógão, o que nos permite ver a dimensão desta enorme tragédia que nos atingiu a 15 e 16 de outubro”.

Segundo o ministro, “o objetivo é pagar todos estes apoios antes do fim do ano”.

Estamos a fazer um esforço sobre-humano para ver se conseguimos pagar até ao Natal”.