A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou para “um agravamento significativo” do risco de incêndio no continente, a partir de quinta-feira, com previsão de índice muito elevado e máximo no Algarve e regiões do interior.

Num aviso à população, a ANPC refere que, com base em informações do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), se prevê para os próximos dias um "agravamento das condições meteorológicas, com uma subida gradual da temperatura máxima até sábado” e “redução da humidade relativa do ar, sem retorno significativo durante a noite”.

Perante as previsões meteorológicas, a ANPC advertiu para um “índice de risco de incêndio muito elevado e máximo na região do Algarve, e em todas as regiões do interior”.

A partir de quinta-feira, “o risco de incêndio apresenta um agravamento significativo em todo o território continental”.

Temperaturas de 44 graus

Na quinta-feira está previsto vento em geral fraco do quadrante norte, soprando moderado (até 35 quilómetros/hora) no litoral oeste, em especial durante a tarde, e nas terras altas, onde pode soprar com intensidade (até 40 quilómetros/hora).

Segundo as previsões espera-se o aumento da temperatura máxima para valores que podem atingir os 44 graus em algumas regiões do interior e valores acima dos 30 graus no restante território.

A temperatura mínima, em especial no Algarve (no sotavento) e no interior do Alentejo, pode atingir valores entre os 24 e os 27 graus, enquanto a humidade relativa do ar deverá registar valores entre os 10% e os 30%, refere o aviso da Proteção Civil.

Para sexta-feira, prevê-se um aumento da intensidade do vento soprando moderado (até 35 quilómetros/hora) no litoral oeste e nas terras altas, em especial durante a tarde, assim como o aumento da temperatura máxima na região norte.

Em função da previsão da evolução das condições meteorológicas, a ANPC salienta que “é expectável” um período de “tempo quente e seco” e “vento moderado com permanência de condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios florestais”.

Além de recordar as medidas preventivas a observar perante o risco de incêndio, como a proibição de realização de queimadas e lançamento de foguetes, a ANPC recomendou a “adoção de medidas de prevenção e precaução” pelos cidadãos.