Um incêndio que deflagrou hoje ao início da tarde no concelho de Góis, em Coimbra, mobilizava mais de 400 operacionais, entre oito fogos ativos pelas 19:20 em sete concelhos do país.

De acordo com a informação disponibilizada no site da Autoridade Nacional de Proteção Civil, por volta das 19:20, 419 operacionais, 123 veículos e sete meios aéreos estavam àquela hora no terreno a combater o incêndio de Góis.

Outro incêndio ativo teve início pelas 16:56 em Cabeço de Boi, no concelho do Fundão, Castelo Branco, e mobilizava pelas 19:20 cerca de 138 operacionais e 30 veículos.

Pelo menos 86 operacionais, 25 veículos e dois meios aéreos combatiam ao fim da tarde um outro incêndio, em Senhora da Lurdes/Paços, no concelho de Melgaço, Viana do Castelo.

Em Casais de Dona Inês/Grijó e em Póvoa do Veado/Reriz, no concelho de Castro Daire, Viseu, encontravam-se ainda ativos dois fogos que contavam, no total, 197 homens, 53 viaturas e dois meios aéreos

Em Figueira de Castelo Rodrigo, na Guarda, pelo menos 126 operacionais combatiam um incêndio com três frentes ativas, apoiados por 30 veículos e dois meios aéreos.

Entretanto, ao final da tarde, teve início um incêndio em floresta em São Brás, no concelho da Amadora, distrito de Lisboa. No local encontravam-se a combater uma frente ativa 128 operacionais e 36 veículos.

Por fim, em Travássos/Requeixo, no concelho de Fafe, distrito de Braga, mantinha-se ativo um incêndio em mato que começou pelas 15:22. No combate ao fogo estavam envolvidos 60 operacionais, 20 veículos e um meio aéreo.

Outro incêndio que mereceu preocupação durante a tarde, de acordo com a Proteção Civil, deflagrou ao início da tarde em Benavente, no distrito de Santarém, mas foi entretanto dominado.

A A13 esteve cortada em ambos os sentidos mas a circulação foi entretanto restabelecida. O incêndio foi combatido por 149 operacionais, apoiados por 45 veículos.

A Proteção Civil apenas fornece pormenores na Internet sobre os incêndios florestais mais significativos.