A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 2.900 incêndios florestais desde o início do ano, um quarto dos quais deflagrou este mês, segundo dados enviados pela entidade à agência Lusa.

A ANPC adianta que, entre 1 e 10 de abril, ocorreram 739 incêndios florestais, tendo o maior número ocorrido entre sábado e terça-feira, quando se registaram 111, 119 e 109 fogos respetivamente.

No combate aos 739 incêndios registados este mês de abril estiveram envolvidos 8.546 operacionais, 2.591 veículos e 37 meios aéreos.

De acordo com a Proteção Civil, Viana do Castelo, Braga, Porto e Vila Real são os distritos onde têm deflagrado mais incêndios.

A ANPC refere também que têm ardido sobretudo áreas de mato.

Do total de 2.900 incêndios que deflagram este ano, a maior parte (1.159) ocorreu em março, seguindo-se este mês de abril, com 739, janeiro com 722 e fevereiro com 280.

O Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) para 2017 é apresentado esta quarta-feira na Lousã.

A época de incêndios começa a 15 de maio e termina a 15 de outubro, estando os meios de combate na sua capacidade máxima entre 1 de julho e 30 de setembro, a chamada “fase Charlie”.