A Guarda Nacional Republicana registou, desde o início deste ano, 10.415 ocorrências de incêndio e deteve 70 pessoas, de acordo com dados divulgados hoje GNR.

De acordo com os mesmos dados, esta força militar aplicou 1.154 contraordenações por infração ao sistema nacional de defesa da floresta contra incêndios, identificou 787 pessoas e realizou 619.480 fiscalizações, mais 136.794 do que em 2014.

No âmbito das ações de primeira intervenção nos incêndios florestais, que ficaram a cargo dos 591 militares do Grupo de Intervenção de Prevenção e Socorro (GIPS), a média de saídas helitransportadas foi de 3.482, mais 4,02% que a média verificada entre 2006 e 2014, que foi de 3.342.

Estas saídas tiveram uma taxa de sucesso (domínio das chamas de um incêndio no tempo máximo de 90 minutos) de 97,55% este ano, contra os 96,69% verificados entre 2006 e o ano passado.

As ações de vigilância e de patrulhamento das áreas florestais e investigação das causas dos incêndios foram desempenhadas por 948 militares e civis do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), que validaram 8.474 incêndios e investigaram 7.596.

Em 2014, a GNR registou 9.758 ocorrências de incêndios, deteve 39 pessoas, identificou 526 e aplicou 2.504 contraordenações.

Em 2013, foram registadas 23.801 ocorrências, detidas 43 pessoas, identificadas 750 e aplicadas 2.910 contraordenações.

Em 2012, o total de ocorrências foi de 27.151. Foram também detidas 36 pessoas, identificadas 1.052 e aplicadas 2.730 multas.

O ano de 2011 foi aquele em que a GNR registou maior número de ocorrências de incêndios – 31.147. Foram detidas 22 pessoas, identificadas 430 e aplicadas 3.440 multas.