O suspeito hoje detido pela GNR por suspeita de ter ateado um incêndio em Martim, Murça, vai ficar a aguardar julgamento em prisão preventiva, disse à agência Lusa fonte policial.

O detido, de 58 anos e residente em Murça, é suspeito de ter provocado um fogo esta madrugada, que consumiu um hectare de mato e sobreiros, não tendo, segundo a GNR, provocado mais danos devido à rápida intervenção dos bombeiros.

A detenção foi efetuada por militares do Posto de Murça.

O indivíduo foi ouvido esta tarde no Tribunal Judicial de Murça, que lhe aplicou a pena de prisão preventiva.

Este ano, a GNR deteve duas pessoas e identificou 79 pela suspeita do crime de incêndio florestal no distrito de Vila Real.