A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta segunda-feira, a identificação de um adolescente de 12 anos como presumível autor de um incêndio florestal ocorrido, este domingo, em Espinho. O incêndio deflagrou, cerca das 15h00, numa zona de mato localizada nas imediações da Nave Desportiva de Espinho.

A investigação foi feita com a colaboração da PSP de Espinho, «tendo-se apurado, na sequência das diligências encetadas de imediato, que o fogo teve origem numa fogueira ateada por um menor de 12 anos de idade, com um isqueiro que lhe foi entregue por um dos adultos que o acompanhava», avança a PJ em comunicado.

O menor já era alvo de uma medida tutelar e vai agora responder por estes factos responder em processo autónomo, tendo em vista a eventual aplicação de nova medida tutelar educativa.

Em Portalegre, a PJ deteve, com a colaboração da GNR, uma mulher, também por suspeita de autoria de um incêndio florestal, a 30 de Agosto, na Ribeira de Nisa. O fogo acabou por queimar apenas 50 metros quadrados, graças à rápida intervenção dos bombeiros que foram chamados pelos vizinhos que testemunharam o crime.

A mulher, com 40 anos e problemas de alcoolismo, vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Este ano, a Polícia Judiciária já identificou e deteve 54 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Só este domingo, a Proteção Civil registou quase 400 incêndios que foram combatidos por mais de sete mil homens, apoiados por quase dois mil veículos.